Temperantia – Estou de dieta! (2009)

cartaz

Sinopse

Usam-se esconderijos para sobreviver à guerra diária que impomos a nós próprios travar. Usam-se máscaras, disfarces, artifícios. Usam-se todas as armas supondo que assim se vencerá a guerra. Mas quando as batalhas que se travam são interiores, quando as mentiras se misturam com as verdades e se torna impossível distinguir umas das outras… foi a própria batalha que nos venceu e não o contrário.

Contemporâneas da ideia de que as mulheres magras são as que realmente são bonitas, Alice e Juju são duas mulheres comuns e gordas. Ambicionam o que todas as outras mulheres desejam também, têm os sonhos que todas as mulheres têm, apenas não correspondem à ideia criada e interiorizada socialmente de que as mulheres bonitas são magras.

Na busca da felicidade, estas duas mulheres iguais a tantas outras, travam batalhas pessoais e sociais. Alice e Juju reinventam o mundo em que vivem e onde podem ser gordas, embora conheçam e tenham experimentado uma interminável lista de dietas que se revelam ineficazes.

Numa constante busca por uma “beleza fácil”, as protagonistas desta peça descobrem o quão tortuosos os caminhos dessa mesma facilidade poderão ser e, enquanto uma delas se perde no mundo de falsa felicidade e fantasias criado à medida das suas inseguranças, a outra liberta-se das criações da sua imaginação reencontrando-se consigo própria e aceitando a sua feminilidade e beleza enquanto mulher: uma mulher gorda que se sente bem consigo própria, se aceita tal qual é e se reconhece no corpo que tem.

 

Ficha Artística

encenação Teresa Côrte-Real

autoria Ricardo Boléo

elenco Filipa Giovanni, Francisco Côrte-Real e Joana Mendes

imagem Leonor Vasconcelos e Luís Ramos

música e desenho de luz Hugo Reis

fotografia Armando Figueiredo e Francisco Miguel Mendes

produção Joana Mendes

Este slideshow necessita de JavaScript.